Saúde e Sexualidade Juvenil

  VIH/SIDA VIH/SIDA
Informação e prevenção sobre o VIH/SIDA

O que é o VIH?

O VIH é um vírus (designado por VIH1 e VIH2) que ataca e destrói o sistema imunitário do nosso organismo, isto é, destrói os mecanismos de defesa que nos protegem das doenças. O VIH actua nas células do sistema imunitário (responsável pela defesa do corpo). Depois de entrar nas células, o VIH começa a agir e integra-se no código genético das célula infetadas (ADN).

As células atingidas pelo vírus são os Linfócitos T Auxiliares (CD4+), que são utilizados pelo vírus para se replicar. Um indivíduo infetado pelo VIH, progressivamente, revela-se débil, frágil, podendo contrair ou desenvolver infeções muito variadas

Este vírus pode permanecer “adormecido” no organismo, sem manifestar sinais e sintomas durante algum tempo. Neste período, os indivíduos infetados com o VIH, são chamados de seropositivos.    

 

O vírus VIH encontra-se principalmente no sangue, no sémen, no líquido pré-ejaculatório, nos fluidos vaginais de pessoas infetadas e no leite materno. Assim, a transmissão do vírus só pode ocorrer se estes fluidos corporais entrarem diretamente em contato com o corpo de outra pessoa pela via sexual e/ou sanguínea.   

Existem 3 três formas de transmissão:

1 – Sangue

A principal causa de transmissão ocorre através da partilha de agulhas, seringas e objetos utilizados no consumo de drogas que possam conter sangue contaminado. Outros objetos que contenham sangue não devem ser partilhados! É o caso das lâminas de barbear, piercings, instrumentos de tatuagem e de furar as orelhas e alguns utensílios de manicura e/ou pedicura.

Atualmente, todo o sangue usado nas transfusões sanguíneas é testado antes de ser utilizado pelo que não se deve ter medo destas situações. Dar sangue também não é um problema já que é utilizado material descartável e esterilizado.  

2 – Relações sexuais e secreções sexuais (líquido pré-ejaculatório, esperma e secreções vaginais) 
 
As secreções sexuais de uma pessoa infetada, mesmo que aparentemente saudável e com “bom aspeto”, podem transmitir o VIH sempre que exista uma relação ou contacto sexual (vaginal, oral ou anal) sem proteção. Muitas vezes, basta uma relação sexual não protegida para podermos ser infetados. Por isso, protege-te sempre!   

3 – Gravidez  

O VIH pode ser transmitido da mãe para o seu bebé durante a gravidez, o parto e/ou o aleitamento. Por isso, é importante que faças o teste da SIDA se pretendes engravidar ou se estás grávida.

Quando a mãe é seropositiva, ou seja, é portadora do VIH, as terapêuticas anti-retrovíricas, ministradas durante a gravidez, reduzem consideravelmente a probabilidade do bebé nascer infetado.

Também é possível ocorrer a transmissão durante o parto, através do sangue perdido, das secreções vaginais ou durante a amamentação.   

Como não se transmite?

  • O VIH não se transmite através de contactos sociais: aperto de mão, toque, abraço, beijo social;
  • Também não se transmite através de alimentos ou água;
  • Espirros ou tosse;
  • Picadas de insetos;
  • Piscinas ou casas-de-banho.

Ser seropositivo não significa ter SIDA, mas sim, que se é portador do vírus e que o sistema imunitário começou a produzir anticorpos que são detetáveis através da realização de um teste específico.

Nos dias de hoje, existe medicação que ajuda um indivíduo seropositivo a retardar o aparecimento da SIDA, conseguindo uma melhor qualidade de vida.

Quando um indivíduo é infetado com o VIH, torna-se seropositivo e pode infetar outras pessoas se tiver comportamentos de risco.

 

  • Utilizando o preservativo, masculino ou feminino em todas as relações sexuais;
  • Não partilhando objetos que possam ter estado em contato com sangue, nomeadamente, agulhas e seringas (bem como todo o material envolvido na preparação da injeção), lâminas de barbear, escovas de dentes;
  • O risco de contágio de uma mãe seropositiva para o seu bebé pode ser diminuído significativamente realizando terapêutica adequada durante a gravidez e evitando o aleitamento materno.
  •  

    O contágio por VIH-Sida não é restrito aos chamados “grupos de risco”.

    Os dados mostram que todos têm de se prevenir: homens e mulheres, casados ou solteiros, jovens e idosos, todos, independente de cor, raça, situação económica ou orientação sexual!

     Podem ser infetadas todas as pessoas que tenham comportamentos de risco:
    - Práticas sexuais desprotegidas;
    - Partilha de objetos que possam conter sangue (agulhas e seringas, lâminas, entre outros)

    Pra saberes se está infetado, o diagnóstico a realizar é feito através de análises sanguíneas, específicas para o VIH. Esta análise deteta os anticorpos que o sistema imunitário do organismo produz contra o vírus ou mesmo o próprio vírus.

     

    Quando é que se pode fazer o teste?    

     A colheita de sangue para o teste deve ser efetuada num prazo de 6 a 8 semanas após um contacto de risco.

    As primeiras análises a uma pessoa infetada pelo vírus podem dar um resultado negativo, se o contágio for recente e se não tivermos em conta o “período de Janela”. O teste deve ser sempre repetido quando tiverem passado 3 meses do comportamento de risco.  

    Informação:
    O período de tempo em que a pessoa foi infectada pelo VIH mas não lhe são detetados quaisquer anticorpos chama-se “período de Janela”.  

     

    A SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é uma doença causada pelo VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) e está relacionada com a degradação progressiva do sistema imunitário, podendo ter vários anos de evolução.                                               

    Uma vez instalado, o vírus invade e destrói um certo t ipo de células do sangue (os Linfócitos T4), que são responsáveis pela defesa do nosso organismo contra as infeções.  


    S/Síndrome – refere-se ao grupo de sintomas que coletivamente caracterizam uma doença. No caso da SIDA, pode incluir o desenvolvimento de determinadas infeções e tumores tal como a diminuição de determinadas células do sistema imunitário (de defesa).  

    ID/Imunodeficiência – quer dizer que a doença é caracterizada pelo enfraquecimento do sistema imunitário.  

    A/Adquirida – quer dizer que a doença não é hereditária e que se desenvolve após o contacto com um agente infeccioso (o VIH).  

    São vários e não são específicos da SIDA, isto é, podem ser comuns a outras doenças. Tais como:

    • Gânglios inflamados em diferentes partes do corpo,
    • Perda inexplicável de peso,
    • Cansaço muito grande e sem razão aparente,
    • Perturbações respiratórias e tosse seca,
    • Aparecimento de manchas vermelhas na pele,
    • Fungos (candidíase).
    O VIH afeta o sistema imunitário, debilitando-o  e tornando mais fácil outros agentes infeciosos alojarem-se no organismo, provocando doenças que se tornam difíceis de tratar. As mais usuais são: Pneumonia, Tuberculose, Sarcoma de Kaposi (cancro da pele e mucosas). Atualmente, existem diversos serviços de despiste (anónimos, confidenciais e gratuitos) que efetuam esta análise sem necessidade de te identificares ou apresentares qualquer tipo de documento ou relatório médico. São os Centros de Aconselhamento e Deteção Precoce do VIH (CAD).  

    Para mais informações, telefona para a Sexualidade em Linha (800 222 003).      

    Ficar infetado ou não com o vírus do VIH depende de ti! Depende do que fazes, não de quem és!    
    Sexualidade em linha [ .asp | .pt ]
    http://juventude.gov.pt/SaudeSexualidadeJuvenil/
    SexualidadeemLinha/Paginas/LinhadeAjuda.aspx


    Partilha esta informação E-mail | Facebook | Twitter
    pesquisa
    eventos
    fala connosco
    Linha da Juventude707 20 30 30
    Linha
    da Juventude
    Ponto Já
       
    Sítio acessível
    segundo as normas do W3C