Saúde e Sexualidade Juvenil

Página Inicial  >  Saúde e Sexualidade Juvenil  >  Sexualidade  >  A sexualidade e as relações
  Rapazes e raparigas Rapazes e raparigas
As diferenças e semelhanças entre rapazes e raparigas

São inúmeras as diferenças entre os adolescentes no que se refere às suas necessidades e experiências sexuais. As experiências amorosas, as preocupações consigo próprios e os  modos de encarar o seu desenvolvimento sexual variam imenso de adolescente para adolescente.

A nível individual, cada rapaz e rapariga modela a sua própria sexualidade. Desejos, necessidades, experiências e aprendizagens são ingredientes da sua vida sexual individual. Por outro lado, os papéis sexuais expressam-se de modo diferente nos rapazes e nas raparigas, e isso desde a nascença.

Encarar o próprio corpo envolve sentimentos diferentes para rapazes e raparigas.

Se pensares no teu grupo de amigos/as, onde se encontram misturados rapazes e raparigas aproximadamente da mesma idade, verás que existe uma enorme diversidade de atividades, experiências e expectativas no campo da sexualidade e das relações íntimas.

No entanto, possuem em comum o desenvolvimento gradual e ordenado da sua sexualidade, isto é, ao longo dos vários estádios de desenvolvimento na adolescência dá-se uma maturação gradual, tanto a nível físico quanto psicológico, comum quer a rapazes quer a raparigas.

Por outro lado, no decorrer de todo este processo de desenvolvimento, rapazes e raparigas têm ideias comuns acerca do estabelecimento de relações íntimas. Basicamente, partilham as mesmas perspetivas quanto ao seu desenvolvimento sexual.

Na verdade, rapazes e raparigas têm uma vasta gama de preocupações ao longo do seu desenvolvimento sexual. Uma das preocupações comuns a raparigas e rapazes é saber como aproximar-se do(a) outro(a), como dizer a alguém que gosto dele(a)?

Os rapazes e raparigas preocupam-se com as intenções de fazer amor, ou seja, como é que eu lhe digo que gostaria de fazer amor com ele(a)?, preocupam-se com o seu funcionamento sexual, ou seja, será que vou ser capaz, será que ele(a) vai gostar?

 

A resposta a esta questão tem que estar, inevitavelmente, na experiência. Só através da experiência rapazes e raparigas poderão saber como atuar em determinada situação e, mais importante, saber o que esperar dessa situação.  

Claro que apesar das preocupações poderem ser comuns, o modo como estas se manifestam é diferente entre rapazes e raparigas. É interessante, por exemplo, o facto de a maior parte das raparigas preferirem relacionar-se, tanto sexual como sentimentalmente, com rapazes mais velhos do que elas. Enquanto que os rapazes não procuram especialmente raparigas mais novas.

Não é muito claro porque é que isto acontece. Elas encaram os rapazes da mesma idade como infantis. Possivelmente será porque os interesses e o nível de experiência dos rapazes mais velhos se aproximam mais do seu próprio nível. Dizem sentir-se à vontade e mais seguras com rapazes mais velhos do que elas.

O importante é que tenhas a noção de que as capacidades para lidar com este tipo de situações se conquistam com a experiência. Deste modo, os “sucessos” nestas situações serão exemplos positivos para as vezes seguintes e os “fracassos” um sinal para tentar uma abordagem diferente da próxima vez.

Para receberes o carinho, a atenção que desejas, tens que lutar por isso, pois as relações afetivas, quer sejam namoros, amizades ou encontros, não caem do céu como a chuva. Dependem de ti e da forma como te relacionas contigo próprio(a) e com aqueles que te rodeiam. E pode sempre acontecer que a pessoa de quem tu gostas não te corresponda. Todos nós, um dia, nos sentimos apaixonados ou gostámos de alguém que não tem o mesmo sentimento por nós.  

 


Partilha esta informação E-mail | Facebook | Twitter
pesquisa
eventos
fala connosco
Linha da Juventude707 20 30 30
Linha
da Juventude
Ponto Já
   
Sítio acessível
segundo as normas do W3C