Centro de Conhecimento da Juventude

Página Inicial  >  Centro de Conhecimento da Juventude  >  Estudos sobre Juventude  >  Colecção Estudos de Juventude
  Colecção Estudos de Juventude Colecção Estudos de Juventude
17 volumes, editados entre 1992 e 2006, pelo IPJ e pelo ICS.


  • Inserção na Vida Activa: Emprego e Desemprego em Portugal e na CEE
    aria da Paz Campos Lima (1992), Colecção Estudos de Juventude, n.º 1. Lisboa: IPJ / ICS.
  • A Mobilidade Geográfica e Sócio-Profissional induzida pelo Sistema de Formação Profissional
    Fernando Honório (1993), Colecção Estudos de Juventude, n.º 2. Lisboa: IPJ / ICS.
  • Valores dos Jovens Portugueses nos Anos 80
    Paulo Antunes Ferreira (1993), Colecção Estudos de Juventude, n.º 3. Lisboa: IPJ / ICS.
  • Delinquência e Criminalidade Recenseadas dos Jovens em Portugal
    Pedro Moura Ferreira, Luís Garcia, Jorge Vala (1993), Colecção Estudos de Juventude, n.º 4. Lisboa: IPJ / ICS.
  • Estudantes Universitários: Composição Social, Representações e Valores
    José Luís Casanova (1993), Colecção Estudos de Juventude, n.º 5. Lisboa: IPJ / ICS.
  • A Procura e Oferta Cultural e os Jovens
    Luísa Schmidt (1993), Colecção Estudos de Juventude, n.º 6. Lisboa: IPJ / ICS.
  • A Formação Profissional Inicial
    Paulo Pedroso (1993), Colecção Estudos de Juventude, n.º 7. Lisboa: IPJ / ICS.
  • Jovens Europeus
    José Machado Pais (org.) (1994), Lisboa, Colecção Estudos de Juventude, n.º 8. Lisboa: IPJ / ICS.

(Esgotado)

 

 

 

Vítor Sérgio Ferreira (Coordenador), Ana Matos Fernandes, Jorge Vieira, Pedro Puga, Susana Barrisco (2006), Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 10. Lisboa: IPJ.

Resulta de um projecto de investigação sociológica que teve como principal objectivo recolher, organizar e sistematizar um conjunto abrangente de informação estatística, produzida e disponibilizada por fontes oficiais, sobre a situação social dos jovens a viver em Portugal, considerando as seguintes dimensões de análise: Demografia; Família; Educação; Emprego e Desemprego; Saúde e Condutas de Risco; Sinistralidade; Justiça.

Com a vantagem de fornecer uma visão ampla e extensiva, no tempo e no espaço, o livro corresponde a um guia que identifica e comenta as principais dinâmicas de evolução sócio-demográfica da condição juvenil portuguesa na viragem do milénio.

Espera-se, assim, que contribua para um melhor conhecimento sobre as condições sociais dos cerca de dois milhões de jovens residentes em Portugal, servindo como instrumento de trabalho e reflexão no sentido do planeamento e da adequação das políticas nacionais às situações reais desta população.

(Esgotado)

 

 

Pedro M. Ferreira (Coordenador), Pedro Alcântara da Silva (2005), Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 9. Lisboa: IPJ.

Que pensam os jovens portugueses sobre o papel dos cidadãos, dos seus direitos e deveres? Que sentimentos e preocupações manifestam em relação ao funcionamento das instituições políticas e da própria democracia? Que presença registam nas associações voluntárias em que assenta parte significativa da sociedade civil? E em que medida se sentem chamados a participar na acção política, inclusive no exercício eleitoral? Estas são algumas das questões exploradas no estudo.

O objectivo principal primário do estudo sobre o Associativismo Juvenil e a Cidadania Política é conhecer e caracterizar o comportamento cívico dos jovens portugueses e identificar algumas das condições sociais que favorecem (ou bloqueiam) o seu desenvolvimento e afirmação.

(Esgotado)

 

 

Jorge Vala (Coordenador), Vitor Sérgio Ferreira, Marcus Eugêneo Lima, Diniz Lopes (2003), Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 8. Oeiras: Celta/IPJ.

Este livro fala das aspirações, projectos de vida, atitudes e identidades dos jovens "negros" com origens nas ex-colónias portuguesas em África e que residem em Portugal. Mas este trabalho é também sobre a maioria branca.

Uma maioria que, para construir a sua própria identidade, criou categorias classificatórias que diferenciam e, muitas vezes, estigmatizam e excluem: pretos, minorias étnicas, imigrantes de segunda geração, etc. Rótulos que conjuram o receio da diferença e protegem da ameaça da semelhança.
Preço: 6€.

 

 

 

Maria de Lourdes Lima dos Santos (coordenadora), Vítor Sérgio Ferreira, Teresa Duarte Martinho, João Sedas Nunes (2003), Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 7. Oeiras: Celta / IPJ.

Que condições sociais propiciam, no presente, a emergência e o desenvolvimento das "vocações artísticas" entre os jovens? De que modo fabricam as suas identidades e estilos de vida enquanto artistas, no quadro dos diversos modos de vida que caracterizam hoje o segmento juvenil? De que forma encaram a sua actividade artística, considerando o espaço actualmente disponível de possibilidades de concepção e representação da arte contemporânea?

Constatando a recorrência da figura do estudante no circuito da arte jovem, que condições estruturais configuram a centralidade da instituição escolar na definição das carreiras artísticas? De que modo essas mesmas condições se reflectem nos contextos de vida dos jovens aspirantes a artistas? Como se apropriam estes do sistema de ensino artístico português, nas suas diferentes fases e segmentos? Que fragilidades e valências lhe apontam?

De que forma se estruturam as relações entre o Estado -- nos dois níveis de exercício do poder, central e local – e o campo cultural da produção artística? Que jogos de interesse fazem confluir e mover reciprocamente estes dois mundos – político e artístico – no espaço social da arte jovem?

Quais as modalidades de articulação existentes entre o espaço da arte jovem e os restantes espaços de produção artística? Que efeitos produz a participação em eventos circunscritos ao mundo da arte jovem nas trajectórias artísticas de quem a eles se submete?
Preço: 6€.

 

 

João Ferreira de Almeida, Patrícia Ávila, José Luís Casanova, António Firmino da Costa, Fernando Luís Machado, Susana da Cruz Martins, Rosário Mauritti (2003), Colecção Estudos sobre Juventude, n.º 6. Oeiras: Celta/IPJ.

Até que ponto haverá ainda desigualdades importantes no recrutamento social dos estudantes universitários consoante as suas diferentes origens sociais? Quais os seus valores e orientações, em termos actuais e futuros, em diferentes esferas e dimensões da vida social? Enfim, como se correlacionam estas orientações valorativas com as respectivas condições sociais de origem?

Nas sociedades contemporâneas, os estudantes universitários constituem um segmento da população particularmente decisivo, enquanto jovens, nos seus destinos sociais potenciais e pelo facto de neles confluírem muitas das dinâmicas de mudança social mais significativas da actualidade.

Baseado nos resultados de um inquérito recente a uma amostra representativa dos estudantes universitários portugueses, este livro analisa, de forma aprofundada, as distribuições por cursos, os recursos sociais ligados aos seus meios de origem e os percursos de vida que protagonizam e projectam.

Analisam-se não só os atributos comuns dos estudantes, em termos de caracterização social e configuração simbólica, mas também as constelações de diversidade social e cultural que entre eles se pode encontrar.
Preço: 6€.

 

 

Ana Santos (1999), Colecção Estudos sobre Juventude, n.º 4. Oeiras: Celta/SEJ.

Porquê estudar o Inter-Rail? O Inter-Rail é uma viagem que inspira, à partida, um elevado grau de incerteza. A autonomia dos sujeitos e a capacidade de livre escolha parecem caracterizar este tempo de férias.

A viagem de Inter-Rail é analisada, neste livro, como uma prática social de lazer, como um sistema de relações socialmente reguladas. Parte-se do princípio que não é possível analisar os comportamentos e as práticas de ocupação dos tempos livres sem fazer referência aos contextos socioculturais mais amplos que os enquadram.

A viagem, como é salientado, insere-se no tempo livre proporcionado pelas férias escolares de Verão. Qual o significado da escolha do bilhete Inter-Rail como forma de ocupação desse tempo? Que papel vai desempenhar a viagem no quotidiano? Como se caracteriza o tempo e o espaço da viagem? A estas questões a autora procura responder com base num estudo de cariz etnográfico.
Preço: 6€.

 

 

Alexandra Lemos Figueiredo, Catarina Lorga da Silva, Vitor Sérgio Ferreira (1999), Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 3. Oeiras: Celta/SEJ.

O estudo consistiu na recolha, sistematização e análise de estatísticas oficiais até agora dispersas que, directa ou indirectamente, fornecem indicadores sobre a evolução da situação social dos jovens portugueses desde 1960.

Aborda as seguintes áreas: demografia; conjugalidade e família, educação e formação profissional; emprego e desemprego; saúde e condutas de risco; sinistralidade; e, finalmente, justiça.
Preço: 6€.

 

 

José Machado Pais (1999), Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 2. Oeiras: Celta/SEJ.

Trata-se de um estudo comparativo sobre a consciência histórica dos jovens europeus, dando destaque à situação dos jovens portugueses nesse contexto.

Comporta três partes: a primeira é consagrada à aprendizagem da História e às suas imagens entre os jovens; a segunda confronta os jovens com várias representações do tempo histórico e do futuro, em Portugal e na Europa; finalmente, a terceira é dedicada ao estudo de atitudes e representações sociais que se reflectem na consciência histórica dos jovens.
Preço: 6€.

 

 

José Machado Pais e Manuel Villaverde Cabral (coordenadores), Natália Alves, Ana Alexandre Fernandes, João Sedas Nunes, Pedro Vasconcelos (1998), Resultados do inquérito de 1997, Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 1. Oeiras: Celta/SEJ.

Com base num inquérito nacional aplicado em 1997 a uma amostra representativa da população juvenil portuguesa, o presente volume pretende traçar os perfis sociais dos actuais jovens portugueses.

Que projectos e trajectórias os caracterizam, na última década, em domínios como a escola e o trabalho? Que atitudes e modelos de comportamento têm perante a sexualidade e a vida conjugal? Que noção da identidade nacional constroem e como se combina esta com a cidadania europeia emergente? Enfim, quais são as suas orientações perante a vida política e o sistema partidário?

Estas constituem algumas das grandes questões colocadas no presente volume, onde se pretende dar a conhecer, de um ponto de vista sociológico, as principais dimensões da vida dos jovens portugueses de hoje.

(Esgotado)

 

 


Manuel Villaverde Cabral e José Machado Pais (coordenadores), Pedro Moura Ferreira, Vitor Sérgio Ferreira, Rui Telmo Gomes (2003), Colecção Estudos Sobre Juventude, n.º 5. Oeiras: Celta / IPJ.

Considerando os resultados de um inquérito por questionário aplicado a uma amostra representativa da população jovem portuguesa entre 15 e 29 anos no ano 2000, esta publicação contempla quatro grandes temas: as trajectórias sociais juvenis, as condutas de risco, práticas culturais e os lazeres dos jovens e as atitudes destes perante o corpo.

Quais as orientações dos jovens portugueses perante os riscos inerentes à sexualidade? Qual a prevalência do consumo de tabaco, de álcool e de outras drogas entre os jovens? Quais os seus hábitos e preocupações relativamente à alimentação? Que atitudes partilham na estrada e perante a sinistralidade rodoviária?

Que representações os jovens fazem dos seus lazeres, quer em termos das orientações a que associam a ideia de tempo livre, quer em termos da avaliação do melhor aproveitamento que dele fazem? Que tipo de práticas ocupam os seus tempos livres?

Qual a adesão dos jovens a determinados regimes de controlo corporal? Em que medida estará essa adesão, na sua intensidade e diversidade de direcções, ancorada à pluralidade de situações sociais que atravessa a condição juvenil? Que disposições subjectivas fundamentam determinado tipo de adesões a regimes corporais? E que relações existirão entre determinados perfis sociais juvenis, condutas de risco e imagens corporais?

(Esgotado)

 

 

Fonte: http://www.opj.ics.ul.pt/


Partilha esta informação E-mail | Facebook | Twitter
pesquisa
eventos
fala connosco
Linha da Juventude707 20 30 30
Linha
da Juventude
Ponto Já
   
Sítio acessível
segundo as normas do W3C